Deputado Zé Inácio(PT) consegue, por unanimidade, aprovação do projeto de Lei que torna o dia 20/11 feriado no Maranhão.

Assembleia Legislativa aprovou hoje (29), por unanimidade, o Projeto de Lei nº 318/17 de autoria do Deputado Estadual Zé Inácio(PT) que estabelece a criação de mais um feriado estadual, que será no dia 20 de novembro e aguarda agora apenas a sanção do governador Flávio Dino.

Deupado petista defende que o dia 20 de novembro seja feriado em homenagem ao líder quilombola Zumbi dos Palmares, além da comemoração do dia da Consciência Negra.

“Esse sim será um feriado. Um feriado para homenagear a luta, homenagear o grande líder quilombola Zumbi dos Palmares, que lutou por liberdade, lutou contra a escravidão, lutou por igualdade e merece o nosso reconhecimento, principalmente no estado do Maranhão onde mais de 70% de sua população é composta por negros”, discurso o petista após a aprovação do seu projeto pelo Plenário da Assembleia Legislativa.

Em alguns estados, como no Rio de Janeiro, assim como em alguns municípios em todo o Brasil, a data já é feriado estadual e/ou municipal. Para que efetivamente o dia 20 de novembro passe a ser feriado estadual, depende apenas da sanção do governador Flávio Dino

Caso o governador aprove a ideia de mais um feriado estadual, novembro passaria a ser o mês com mais feriados no Maranhão, pois passaria a ter três feriados – nos dias 02 (Finados), 15 (Proclamação da República) e 20 (Zumbi dos Palmares/Consciência Negra).

Anúncios

SOLIDARIEDADE: Jovem atleta de Peri-Mirim pede ajuda para poder participar da corrida de São Silvestre em São Paulo este ano.

A População de Peri Mirim terá seu representante na tradicional CORRIDA DE SÃO SILVESTRE que será realizada dia 31/12/2017 na cidade de São Paulo,com percurso de 15 km.

O nosso representante será o Aliton Carlos Pereira Diniz, popularmente conhecido como Ciciquinho.


Por não ter condições financeiras para arcar com suas despesas, o mesmo busca apoio e patrocínio junto aos moradores da Cidade de Peri Mirim e regiões vizinhas.
Os gastos serão com:
Inscrição- 180,00
Passagem 1.500,00 (Peri mirim x São Luis x São Paulo x São Luis x Peri Mirim).
• Ida : 26/12
•volta: 31/12

•Tênis – R$ 700,00
•Hospedagem
•Alimentação

Foi aberta conta poupança Na CEF em seu nome, onde poderá ser feito depósito de qualquer valor.
AG : 2063
OP :013
CP :106186-1
Aliton Carlos Pereira Diniz

A população ajuda como pode, fazendo Rifas e bingos para ajudar nas despesas.

O Jovem Aliton Carlos de apenas 18 anos de idade, residente no Bairro do Portinho,  mora com seus pais, de família  humilde.   Descobriu em si um talento nato . Tudo começou em sua escola em 2014 quando o mesmo participou de uma corrida , e foi ganhador, e foi representante  da sua escola na cidade de Pinheiro/ ma.

Aliton despertou em si, o quanto tinha capacidade de correr  e chegar mais além.  Foi neste mesmo ano em Agosto  de 2017  que ele começou a treinar e competir. 

De lá pra cá, o jovem Aliton Carlos tem participado de várias corridas e conquistando várias  medalhas em  lugares do Maranhão, como:  Pedro do Rosário,  Viana, São Luis.

E Hoje vem tentando realizar um dos seus sonhos, que é  chegar na tão sonhada Corrida de São Silvestre, que acontece na cidade de São  Paulo.

MEC divulga lista das piores faculdades do Maranhão.

A pesquisa foi divulgada ontem e leva em conta o Índice Geral de Cursos. No Maranhão, foram 31 instituições de ensino avaliadas.

Foi divulgado nesta segunda-feira, 27, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o ciclo de avaliação do ensino superior brasileiro referente ao ano de 2016. Ao todo, foram 2.132 instituições de ensino avaliadas. Deste total, 307 são consideradas insatisfatórias pelo MEC. O Maranhão possui quatro faculdades na lista das piores instituições, das 31 avaliadas no estado.

Para estabelecer o ranking, é levado em consideração o IGC, Índice Geral de Cursos, que vai de 1 a 5. São consideradas insuficientes as instituições que possuem nota menor que 3. Estas podem receber punições, como a proibição de abertura de vestibulares até que se tomem providências para a melhora da nota.

Confira, agora, a lista de instituições maranhenses aprovadas e reprovadas pelo MEC:

Aprovadas

Nota 4

Universidade Federal do Maranhão (UFMA)
Instituto de Ensino Superior Franciscano (IESF)
Faculdade Brasileira de Estudos Avançados (FABEA)

Nota 3

Universidade Estadual do Maranhão (UEMA)
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA)
Universidade Ceuma
Faculdade Santa Teresinha (CEST)
Faculdade Pitágoras de São Luís
Faculdade de Educação São Francisco (FAESF)
Faculdade Estácio
Faculdade Santa Fé (CESSF)
Faculdade de Imperatriz (FACIMP)
Faculdade Pitágoras de Imperatriz
Unidade de Ensino Superior Dom Bosco (UNDB)
Faculdade do Vale do Itapecuru (FAI)
Instituto de Estudos Superiores do Maranhão (IESMA)
Faculdade do Maranhão (FACAM-MA)
Faculdade Evangélica do Meio Norte (FAEME)
Faculdade de Educação Santa Terezinha (FEST)
Instituto de Ensino Superior do Sul do Maranhão (IESMA)
Faculdade do Baixo Paraníba (FAP)
Instituto de Ensino Superior Múltiplo (IESM)
Faculdade de Educação de Bacabal (FEBAC)
Instituto Florense de Ensino Superior (IFES)
Faculdade de Balsas (UNIBALSAS)
Faculdade Laboro

Faculdade de Ciências e Tecnologia do Maranhão (FACEMA)

Reprovadas

Nota 2 (insatisfatória)

Faculdade do Estado do Maranhão (FACEM)
Faculdade Maranhense São José dos Cocais (FSJ)
Instituto Maranhense de Ensino e Cultura (IMEC)
Faculdade Maurício de Nassau

Avaliação anterior

Em 2015, o número de faculdades consideradas insatisfatórias era menor: IMEC, FEBAC e FSJ possuíam nota 3. No ciclo de avaliação do ensino superior brasileiro do ano passado, a Faculdade Maranhense São José dos Cocais subiu um ponto na avaliação, enquanto FACEM e Maurício de Nassau caíram no conceito do MEC. Já a Universidade Federal do Maranhão (UFMA), que possuía nota 3, subiu um ponto.

Método

O cálculo do IGC é feito todos os anos, e leva em conta o Conceito Preliminar de Curso (CPC) do último triênio. O índice é calculado no ano seguinte à realização do Enade. Também são levados em conta, no IGC, outros conceitos de avaliação de programas de pós graduação stricto sensu, e a distribuição dos estudantes entre os níveis de ensino. Foram avaliados, no ano de 2016, as áreas de Saúde e Ciências Agrárias (licenciaturas e bacharelados), e Ambiente e Saúde, Produção Alimentícia, Recursos Naturais, Militar e Segurança (eixo tecnológico). O resultado da pesquisa está disponível na íntegra no site do Ministério da Educação.

Atualização (10h57): a Faculdade de Ciências e Tecnologia do Maranhão (FACEMA) foi registrada erroneamente na lista de instituições com nota 2. A FACEMA possui, na realidade, nota 3, sendo aprovada pelo MEC.

Em nota, a instituição disse que “A Faculdade de Ciências e Tecnologia do Maranhão (Facema) esclarece que o Índice Geral de Cursos (IGC) divulgado ontem pelo Inep/MEC classificou-a como a quinta melhor faculdade privada de todo o estado do Maranhão, com conceito 3 (três), considerado pelo MEC como referencial de qualidade.  Neste sentido, não prospera a informação publicada hoje pelo Jornal Imparcial (já retratada no link) e reproduzida pelo Jornal Pequeno de que a Facema recebeu conceito de reprovação pelo MEC”.

Atualização (11:35): A Faculdade UNINASSAU emitiu nota sobre a avaliação do MEC. Leia na íntegra:

“A Faculdade UNINASSAU São Luís esclarece que o Índice Geral de Cursos (IGC) da instituição foi atribuído erroneamente e que a correção da nota já foi solicitada ao Ministério da Educação (MEC). A nota 2 atribuída a Instituição foi resultado da avaliação de um único curso, o de Radiologia, quando na realidade a UNINASSAU São Luís possui 29 cursos autorizados, que por serem novos, ainda não foram avaliados e não possuem notas (CPCs). Pela legislação, é necessária a avaliação de, pelo menos, 50% dos cursos da instituição para estabelecer o IGC da instituição, o que torna o resultado divulgado inválido. A Instituição reforça que trabalha para manter altos níveis de qualidade docente e infraestrutural, atingindo assim os melhores níveis de avaliações exigidos pelo MEC, pela sociedade e pelo mercado de trabalho.”

fonte:https://oimparcial.com.br/noticias/2017/11/as-piores-faculdades-do-maranhao-segundo-o-mec/

EDUCAÇÃO: SEMED de Peri-Mirim-MA realiza Formação do PNAIC 2017/2018.

A Secretaria Municipal de Educação de Peri-Mirim (MA) deu início hoje (27) à Formação do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa – PNAIC, que este ano está contemplando as modalidades Educação Infantil e o Ciclo de Alfabetização do 1°ao 3° ano, tendo por objetivo contemplar as discussões e diálogos entre as teorias de ensino, os conteúdos escolares e as práticas pedagógicas com ênfase em leitura, escrita e letramento matemático.

O evento foi realizado na Escola Municipal Carneito de Freitas e contou com a presença de Professores, Gestore, Supervisores, a Secretária Municipal de Educação, Profesora Alda Regina além do vereador Edinaldo Boas na abertura da capacitação. A formação foi especificamente para coordenadores e formadores locais, professores alfabetizadores e coordenadores.

No total, 144 professores alfabetizadores, sendo 27 do Novo Mais Educação, 51 do Ensino Fundamental e 46 da Educação Infantil participaram na formação.

Já no Ciclo de alfabetização do 1° ao 3° ano, 51 professores alfabetizadores se fizeram presentes. De acordo com a Secretária Municipal de Educação, Alda Regina,  a capacitação teve como objetivo discutir as diretrizes do Pnaic 2017/2018, com ênfase na Avaliação Nacional da Alfabetização no Maranhão e concepção de oficina pedagógica no Maranhão, além da integração dos saberes no ciclo de alfabetização: diversidade, inclusão e currículo, integrando Saberes na Educação Infantil.

O professor Nilson como coordenador do programa também apresentou o documento de orientação que rege o programa.

A secretária de Educação ainda ressaltou que há muitos desafios que precisam ser superados para dar à educação de PeriMirim o patamar de qualidade. Mas os esforços são grandes e somente com a colaboração, empenho e compromisso de todos, poderemos galgar dias melhores na nossa educação.

“O PNAIC é uma ferramenta que vai contribuir para uma educação de qualidade, o que irá melhorar o desempenho dos professores em sala de aula, garantindo assim o desenvolvimento do processo ensino aprendizagem, o que vai refletir positivamente no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB)”, disse Alda Regina.

EDUCAÇÃO: ALUNOS DA REDE ESTADUAL DE ENSINO MÉDIO DA ESCOLA ANICETO CANTANHEDE APRESENTAM PROJETO SARAU LITERÁRIO EM BEQUIMÃO-MA

Realizado na tarde de ontem(27) no Salão Paroquial em Bequimão-MA, o projeto Sarau Literário foi presentado pelos alunos Marina e Denilton que abordou o tema: Literatura: Um mundo de diversidades. O projeto teve como objetivo principal, compreender a  línguagem como forma de expressão e comunicação, priorizando e valorizando os autores negros que tanto contribuíram para o mundo literário.

O evento servio também de homenagem ao mês da Consciência Negra, buscndo ampliar o repertório linguístico e literário; oportunizar o uso da línguagem em diversas situações; valorizar e aperfeiçoar a oralidade; aprender a expressar-se em grupo; despertar nos alunos da referida Escola, o gosto pela leitura e desenvolver o comportamento leitor.

Partindo desse ponto de vista, o projeto pretende resgatar a importância de conhecermos a diversidade literária, despertando nos alunos o gosto pela leitura e pela produção textual.

As apresentações permearam desde literatura antiga até pa moderna; da clássica a tradicional.

As apresentações iniciaram com os alunos do 1° ano da turma 101 que abordaram o teatrólogo Gil Vicente.

Em seguida a turma do 1° ano da sala 102 falaram do poeta brasileiro Gregorio de Matos, popularmente conhecido como “Boca de Ferro”.

Os alunos do 1° ano da sala 103 abordaram o tema Literatura de Cordel, uma literatura de cunho popular, surgida há muitos anos, porém, ainda presente nos dias atuais e que é muito significativa para os brasileiros, principalmente para os nordestinos como as obras do poeta Patativa do Assaré.

Os alunos da sala 201, 2° ano, contaram a vida e obra de Aluízio de Azevedo, autor negro e maranhense que mostrou a realidade da sua época em suas obras. Em seguida, os alunos dramatizaram techos da obra “O mulato”.

A sala 202, do 2° ano, falou de outro grande autor brasileiro, Machado de Assis, considerado um dos principais autores do Realismo brasileiro. Os alunos dramatizaram trechos da enigmática obra de Machado de Assis, “Dom Casmurro”.

Os alunos  da sala 301 do 3° ano enfocaram a Semana de Arte Moderna, um dos momentos mais importantes na literatura brasileira, provocando mudanças e ousadias que marcaram época e refletiu na transformação na literatura brasileira.

Os alunos do 3° ano da sala 302 trouxeram a peculiaridade de Ariano Suassuna, contando vida e obras do autor e dramatizando trechos da sua obra prima “O Auto da Compadecida”.

A Direção da escola na pessoa da Professora Socorro Frazão, fez os devidos agradecimentos aos alunos e a todos os presentes.

A professora Jaquelia também fez suas colocações sobre a importância de projetos pedagógicos que estimulem o gosto pela leitura e pela produção textual.

FEMINICÍDIO: 33 casos no Maranhão. De quem é a culpa?


Trinta e três. 33 mulheres foram assassinadas no Maranhão pela condição de serem mulheres, conforme dados do Departamento de Feminicídio do Estado. Apenas no primeiro semestre de 2017, foram registrados 2.537 ocorrências de violência na Delegacia Especial da Mulher (DEM). Os motivos parecem variar, mas são sempre semelhantes: um homem incapaz de aceitar que a mulher não é propriedade particular e não aceitam o término de um relacionamento, segundo aponta um levantamento do Tribunal de Justiça do Maranhão.

A despeito dos números assombrosos, em um estado ainda marcado pelo machismo rústico, alguns ainda negam os crimes de feminicídio. “Feminicídio?”, “Quem garante que ela morreu só por ser mulher?”.

Outros consideram mimimi de progressistas ou feministas. Afinal, se o assassino não cometer o crime gritando, em alto e bom som, “Você merece morrer porque é mulher”, vão relutar em dizer que não existe crime de gênero no Maranhão e que “Em briga de marido e mulher não se mete a colher”.

https://www.facebook.com/v2.10/plugins/video.php?app_id=1836735769872567&channel=https%3A%2F%2Fstaticxx.facebook.com%2Fconnect%2Fxd_arbiter%2Fr%2FlY4eZXm_YWu.js%3Fversion%3D42%23cb%3Dfec9cad339e298%26domain%3Doimparcial.com.br%26origin%3Dhttps%253A%252F%252Foimparcial.com.br%252Ffac8f6489e5114%26relation%3Dparent.parent&container_width=330&href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2FOImparcialMA%2Fvideos%2F1502122333176934%2F&locale=en_US&sdk=joey&width=500Não é difícil entender. O feminicídio, e a negação dele, evidentemente, nada mais é de que uma cultura enraizada em nossa terra que, em vez de ser arrancada, germinou: “Tenha sua mulher na palma da mão, nem que seja preciso usar a força”, “Mulher é assim mesmo, merece ser tratada na rédea”. Ou seja, o extremo do patriarcado que se agigantou. Ou mais fatal, sempre esteve ali e não teve a devida atenção.

Os assassinatos de Mariana Costa, assassinada no ano passado, e da menina Allana Ludmila, ocorrido meses atrás, para citar os de mais repercussão, foram casos que nos chocaram, nos fizeram refletir e despertaram os ouvidos para o tema. Quantas outras mulheres serão assassinadas para evoluirmos no pensamento humano, assumirmos a devida culpa, e entender que colaboramos com a desgraça também, quando, por exemplo, incentivamos os filhos a carregar a pecha da cultura machista ou quando somos complacentes com uma agressão próxima e não denunciamos? Quantas outras mulheres que são nossas familiares, vizinhas, amigas de trabalho, estão à beira da morte, sendo agredidas, e fingimos não ver? Quando vamos entender que também somos responsáveis, independente do gênero que carregamos? Continuaremos negando a existência de um fenômeno social reduzindo-o o problema é só do outro

Fonte: https://oimparcial.com.br/tv/2017/11/33-casos-de-feminicidio-no-maranhao-a-culpa-tambem-e-sua/

REDE SOLIDÁRIA: ROBSON CHEIRA ajuda mais de 60 famílias do povoado Bem-Fica que irão receber água potável em suas casas.

A falta d’água é um problema grave na cidade de Bequimão-MA. Muitas comunidades estão sofrendo, perdendo lavrouras, vendo seus animais morrerem por falta d’água e pior, a sede chega as casas e afeta a qualidade de vida das pessoas.

A inoperância do poder público em buscar a solução para esse problema só piora a cada dia. A água virou raridade em muitas casas, os poucos poços que existem estão secando e a população sofre com o descaso dos seus governantes.

Mas, a esperança está se renovando nos corações aflitos dessas famílias que sofrem com tanto  descaso e desumanidade. A REDE SOLIDÁRIA Idealizada por Robson Cheira vem crescendo a cada dia e ganhando adeptos que estão percebendo que juntos podemos ser mais fortes, que juntos podem levar a solução para os problemas daqueles que sofrem com a falta d’água.

Robson Cheira, Sinhor de Nestor, Sassá, Gordo do Quindiua, Caio Almeida e os Vereadores Thiago Almeida e Raquel Paixão em reunião com moradores do povoado Bem-Fica, levam água para todas as casas, atendendo a mais de 60 famílias que poderão ter água tratada em suas casas e poderem viver com mais dignidade.

A comudade se reune e reconhece a importância de estarem juntos para que o projeto seja concluído com êxito. Uma grande rede de solidariedade onde cada um ajuda como pode, homens se disponibilizando a cavar as valas na terra seca, mulheres ajudando com lanche e tudo o que podem fazer para a água chegue à todas as casas.

O Professor Cesar que vive na comunidade e conhece o sofrimento desse povo relata:

“Água é vida, é esperança, e quando Robson Cheira chegou aqui na comunidade, reuniu com as famílias, muitos falaram que apenas promessas, mas agora estamos vendo a realidade, o compromisso e a força de um grupo de amigos que realmente se importa com as comunidades carentes de Bequimão.”

O trabalho não para, depois da estrutura pronta, os moradores começam a escavar as valas por onde os canos irão passar. É notório a alegria desses homens e mulheres que se enganjam em fazer tudo o mais rápido possível, querem água dentro de suas casas.

O Sr. Cipriano ressalta que a parceria entre Robson e a comunidade é muito forte. TOdos, independente de lado político ajuda. Ninguém aqui está satisfeito com essa situação, todos precisam e todos serão atendidos.

Uma parceria que só cresce e se estende a cada dia. Outras comunidades já chamaram Robson Cheira e sua Rede Solidária para possam ajudar a resolver o problema da falta d’água e outros que surgem.

O custo é alto, são canos, bombas e material para a construção das caixas d’água. Mas tudo é recompensado quando podemos perceber a alegria dessas pessoas, esquecidas pelo poder público, precisando de ajuda e nós trazemos a esperança. Isso é gratificante demais.