COMPANHIA MARIZÉS, QUE REPRESENTOU O MARANHÃO NO FESTIVAL INTERNACIONAL DE CULTURA EM FORTALEZA, TEM CONTRATAÇÃO NEGADA PELA PREFEITURA DE BEQUIMÃO E NÃO IRÁ SE APRESENTAR NO ARRAIAL DA CIDADE.

 

 Slide1

Criado em 2014 pelos jovens Camila, Junior Gomes e Leo Leandro, o grupo reúne cerca de 54 brincantes, em sua maioria jovens, que compõem o corpo de baile, a orquestra e personagens típicos do alto do boi, como Pai Francisco, Catirina, Caboclo de pena, Cazumbás e miolo do boi.

A apresentações do Marizés tem como foco principal uma das manifestações culturais mais populares de Bequimão: o bumba-meu-boi. Assim, apresentam seu espetáculo colocando em cena 04 sotaques típicos dessa cultura, que são exibidos ao logo da apresentação. No decorrer da apresentação percebe-se uma mescla de ritmos e elementos das inúmeras manifestações culturais do Maranhão. Na temporada do ano passado, o grupo agradou plateias por onde passou com o repertório marcado pela forte influência dos sotaques de bumba-meu-boi (orquestra, matraca, pandeirão, zabumba e Pindaré), tambor de crioula e forró de caixa.

“Através da música e da dança, o grupo pretende trazer à tona o lado mais prosaico da cultura popular, a capacidade do homem festejar sua alegria e mostrá-la pelo ritmo e poesia”, destaca o presidente do Marizés, Júnior Gomes.

Slide2

Em um grupo formado por jovens, há também um aspecto social no trabalho que o Marizés vem desenvolvendo. “O processo de criação que segue os preparativos da nossa companhia envolve, anualmente, uma variedade de jovens que apoia e incentiva a música, a dança e a arte como meios de expressão de ideias. Isso cria no nosso município uma nova possibilidade de lazer e entretenimento, ganhando o espaço que poderia ser ocupado pelas drogas ou pela violência”, ressalta o presidente da companhia.

Além disso, a juventude local tem oportunidade de conhecer melhor e valorizar as manifestações culturais da sua região. Esses vínculos criados são fundamentais para a preservação da identidade e da cultura popular.

 

 Slide3

A Companhia Marizés participou da V EDIÇÃO DO FESTIVAL INTERNACIONAL DE FOLCLORE DO CEARÁ. A apresentação  foi no conselho comunitário do parque São José – CCPSJ.

O festival é consolidado como a maior manifestação cultural do gênero no norte nordeste, a quinta edição do festival internacional do folclore apresenta 20 grupos do mais rico e plural folclore cearense, brasileiro e latino–americano, de 17 a 20 de novembro, no centro dragão do mar de arte e cultura; e 19 e 20 de novembro o formato é de caravana para sobral durante o projeto cidades das artes. toda programação é gratuita.

a quinta edição do festival internacional do folclore em 2016 com atrações de dois países da américa latina, argentina e peru, do ceará e mais cinco estados brasileiros com o melhor do folclore nacional.

Sem título

O presidente da Companhia de Artes e Cultura Popular Marizés, Junior Gomes, explica em rede social como aconteceu a exclusão da Companhia do arraial de Bequimão.

Boa noite gente! Não tenho a prática de dedicar o meu tempo em redes sociais, mas hoje algo muito interessante me chamou a atenção! A prefeitura municipal de Bequimão divulga a programação de aniversário da cidade e a Companhia de Artes e Cultura popular Marizés por mais uma vez não está na programação!

Vejam bem, estou dizendo que por mais uma vez não está na programação! A Companhia Marizés surge no ano de 2014 quando pude notar a necessidade de se ter mais um trabalho que pudesse a altura representar o nosso município e até mesmo o Maranhão como já tivemos a oportunidade de representar no festival internacional do Ceará! Diante de inúmeros obstáculos um apaixonado pela cultura não iria desistir fácil, mesmo tendo que enfrentar situações que jamais eram de se esperar.

No ano de fundação do nosso projeto também ficamos de fora da programação da cidade porque simplesmente coloquei na nossa camisa o nome do Deputado estadual Zé Inácio que era um dos nossos patrocinadores, insatisfeito com a situação resolvi questionar diretamente com o gestor que naquele momento se encontrava na rádio comunitária de Bequimão, ele foi direto e o objetivo com a situação, usando das mais lindas palavras que ele tinha para aquele momento, quem vos conhece pode imaginar quais foram, logo finalizou nossa conversa dizendo em tom categórico que não subiríamos no “palanque” do arraial com o nome do deputado Zé Inácio estampado nas nossas costas, me retirei calado e calado fiquei!

Chegou o São João de 2015, como eu permaneci calado da forma como rege a cartilha da administração, pude levar o Marizés ao arraial de Bequimão! Chega o São João de 2016, usei da mesma estratégia do ano anterior, ficar calado para que mais uma vez fosse possível nos apresentar, porem dessa vez houve uma pequena divergência em relação ao valor do pagamento que tinha sido combinado entre ambos. Acertamos um valor de apresentação e dias depois chega uma funcionária da prefeitura lotada na secretaria de cultura a minha procura com determinado valor, porem faltando R$500 reais do combinado pela apresentação! Anoiteceu e amanheceram várias vezes para que esses 500 reais chegassem até as nossas mãos.

Chegou 2017, por ser um direito de qualquer cidadão me lanço candidato de oposição pelo fato de discordar com a postura de ditador do então gestor, a democracia reina desde o ano de 1945, o direito de ir vim é de todos, o direito de expressão é livre! Gestor você foi escolhido nas urnas pq todo o poder emana do povo! Lembre-se que hoje estás prefeito não foi pq você passou em um concurso público! Pare de reprimir e humilhar as pessoas com essa conduta de perseguição miserável que é o marco dessa administração! Falo e afirmo tudo isso pq já fui plateia desse circo! Bando de covardes! Agora quem é penalizado é um projeto cultural que não é meu, é de Bequimão! Descarregue esse teu ódio em Antônio Diniz, em Cesar Cantanhede, Em Robson Cheira em Bernal! Eles sim são políticos! Eu não sou politico, estive na politica! Respeita minha opinião seu irresponsável!

Fonte: https://www.facebook.com/herbete.gomes?fref=nf&pnref=story

Também em rede social a presidente da Companhia Marizés, Camila Rodrigues, demonstra sua insatisfação sobre o fato.

“Companhia Marizés fica de fora da programação! Muito decepcionante. Um verdadeiro desrespeito com nossa cultura! Mas seguimos em frente, Pq podem tirar nossa oportunidade de mostrar nosso trabalho na nossa própria Cidade. Mas o carinho e a admiração da população bequimaoense pelo Marizés, Ah isso nunk!!!”

Outras pessoas demonstram apoio

A Companhia Marizés, como o propiro nome diz, é um grupo. Grupo apreciado pelos bequimãoenses e além mar. Portanto, concordo que o grupo deveria constarna programação do arraial de Bequimão, para que todos apreciassem tamanha beleza!!

(Profª Helena Rodrigues)

 

Um município de não valoriza seus próprios representantes em cultura vai valorizar o que?

(Joedson Pereira)

Criado em 2014 pelos jovens Camila, Junior Gomes e Leo Leandro, o grupo reúne cerca de 54 brincantes, em sua maioria jovens, que compõem o corpo de baile, a orquestra e personagens típicos do alto do boi, como Pai Francisco, Catirina, Caboclo de pena, Cazumbás e miolo do boi.

A apresentações do Marizés tem como foco principal uma das manifestações culturais mais populares de Bequimão: o bumba-meu-boi. Assim, apresentam seu espetáculo colocando em cena 04 sotaques típicos dessa cultura, que são exibidos ao logo da apresentação. No decorrer da apresentação percebe-se uma mescla de ritmos e elementos das inúmeras manifestações culturais do Maranhão. Na temporada do ano passado, o grupo agradou plateias por onde passou com o repertório marcado pela forte influência dos sotaques de bumba-meu-boi (orquestra, matraca, pandeirão, zabumba e Pindaré), tambor de crioula e forró de caixa.

“Através da música e da dança, o grupo pretende trazer à tona o lado mais prosaico da cultura popular, a capacidade do homem festejar sua alegria e mostrá-la pelo ritmo e poesia”, destaca o presidente do Marizés, Júnior Gomes.

 

Em um grupo formado por jovens, há também um aspecto social no trabalho que o Marizés vem desenvolvendo. “O processo de criação que segue os preparativos da nossa companhia envolve, anualmente, uma variedade de jovens que apoia e incentiva a música, a dança e a arte como meios de expressão de ideias. Isso cria no nosso município uma nova possibilidade de lazer e entretenimento, ganhando o espaço que poderia ser ocupado pelas drogas ou pela violência”, ressalta o presidente da companhia.

Além disso, a juventude local tem oportunidade de conhecer melhor e valorizar as manifestações culturais da sua região. Esses vínculos criados são fundamentais para a preservação da identidade e da cultura popular.

 

 

A Companhia Marizés participou da V EDIÇÃO DO FESTIVAL INTERNACIONAL DE FOLCLORE DO CEARÁ. A apresentação  foi no conselho comunitário do parque São José – CCPSJ.

O festival é consolidado como a maior manifestação cultural do gênero no norte nordeste, a quinta edição do festival internacional do folclore apresenta 20 grupos do mais rico e plural folclore cearense, brasileiro e latino–americano, de 17 a 20 de novembro, no centro dragão do mar de arte e cultura; e 19 e 20 de novembro o formato é de caravana para sobral durante o projeto cidades das artes. toda programação é gratuita.

a quinta edição do festival internacional do folclore em 2016 com atrações de dois países da américa latina, argentina e peru, do ceará e mais cinco estados brasileiros com o melhor do folclore nacional.

 

 

O presidente da Companhia de Artes e Cultura Popular Marizés, Junior Gomes, explica em rede social como aconteceu a exclusão da Companhia do arraial de Bequimão.

Boa noite gente! Não tenho a prática de dedicar o meu tempo em redes sociais, mas hoje algo muito interessante me chamou a atenção! A prefeitura municipal de Bequimão divulga a programação de aniversário da cidade e a Companhia de Artes e Cultura popular Marizés por mais uma vez não está na programação!

Vejam bem, estou dizendo que por mais uma vez não está na programação! A Companhia Marizés surge no ano de 2014 quando pude notar a necessidade de se ter mais um trabalho que pudesse a altura representar o nosso município e até mesmo o Maranhão como já tivemos a oportunidade de representar no festival internacional do Ceará! Diante de inúmeros obstáculos um apaixonado pela cultura não iria desistir fácil, mesmo tendo que enfrentar situações que jamais eram de se esperar.

No ano de fundação do nosso projeto também ficamos de fora da programação da cidade porque simplesmente coloquei na nossa camisa o nome do Deputado estadual Zé Inácio que era um dos nossos patrocinadores, insatisfeito com a situação resolvi questionar diretamente com o gestor que naquele momento se encontrava na rádio comunitária de Bequimão, ele foi direto e o objetivo com a situação, usando das mais lindas palavras que ele tinha para aquele momento, quem vos conhece pode imaginar quais foram, logo finalizou nossa conversa dizendo em tom categórico que não subiríamos no “palanque” do arraial com o nome do deputado Zé Inácio estampado nas nossas costas, me retirei calado e calado fiquei!

Chegou o São João de 2015, como eu permaneci calado da forma como rege a cartilha da administração, pude levar o Marizés ao arraial de Bequimão! Chega o São João de 2016, usei da mesma estratégia do ano anterior, ficar calado para que mais uma vez fosse possível nos apresentar, porem dessa vez houve uma pequena divergência em relação ao valor do pagamento que tinha sido combinado entre ambos. Acertamos um valor de apresentação e dias depois chega uma funcionária da prefeitura lotada na secretaria de cultura a minha procura com determinado valor, porem faltando R$500 reais do combinado pela apresentação! Anoiteceu e amanheceram várias vezes para que esses 500 reais chegassem até as nossas mãos.

Chegou 2017, por ser um direito de qualquer cidadão me lanço candidato de oposição pelo fato de discordar com a postura de ditador do então gestor, a democracia reina desde o ano de 1945, o direito de ir vim é de todos, o direito de expressão é livre! Gestor você foi escolhido nas urnas pq todo o poder emana do povo! Lembre-se que hoje estás prefeito não foi pq você passou em um concurso público! Pare de reprimir e humilhar as pessoas com essa conduta de perseguição miserável que é o marco dessa administração! Falo e afirmo tudo isso pq já fui plateia desse circo! Bando de covardes! Agora quem é penalizado é um projeto cultural que não é meu, é de Bequimão! Descarregue esse teu ódio em Antônio Diniz, em Cesar Cantanhede, Em Robson Cheira em Bernal! Eles sim são políticos! Eu não sou politico, estive na politica! Respeita minha opinião seu irresponsável!

Fonte: https://www.facebook.com/herbete.gomes?fref=nf&pnref=story

Também em rede social a presidente da Companhia Marizés, Camila Rodrigues, demonstra sua insatisfação sobre o fato.

“Companhia Marizés fica de fora da programação! Muito decepcionante. Um verdadeiro desrespeito com nossa cultura! Mas seguimos em frente, Pq podem tirar nossa oportunidade de mostrar nosso trabalho na nossa própria Cidade. Mas o carinho e a admiração da população bequimaoense pelo Marizés, Ah isso nunk!!!”

Outras pessoas demonstram apoio

A Companhia Marizés, como o propiro nome diz, é um grupo. Grupo apreciado pelos bequimãoenses e além mar. Portanto, concordo que o grupo deveria constarna programação do arraial de Bequimão, para que todos apreciassem tamanha beleza!!

(Profª Helena Rodrigues)

 

Um município de não valoriza seus próprios representantes em cultura vai valorizar o que?

(Joedson Pereira)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s