CONCURSO PÚBLICO: Saiu o edital para a Saúde do Maranhão.

As inscrições podem ser realizadas a partir das 08h do dia 15 de dezembro até o dia 09 de janeiro de 2018, às 23h59

As oportunidades são gratuitas e os cursos, de formação inicial e continuada e cursos técnicos, serão realizados tanto em modo presencial quanto a distância.

O  Instituto AOCP divulgou  nesta segunda-feira,11, o edital para preencher as mil vagas oferecidas pela no quadro efetivo da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (Emserh), responsável pela gestão de 45 unidades de saúde na capital e no interior do estado

As inscrições podem ser realizadas a partir das 08h do dia 15 de dezembro até o dia 09 de janeiro de 2018, às 23h59, por meio do site do Instituto AOCP. Nível médio e técnico custam R$ 80, já o nível superior R$ 120.

Vagas

Das vagas autorizadas, serão ofertadas 60 oportunidades na área médica em diferentes especialidades, 630 vagas para as funções de enfermeiro e de técnico de enfermagem, além de 310 vagas distribuídas para os cargos de biomédico, bioquímico, farmacêutico, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, nutricionista, odontólogo, psicólogo, terapeuta ocupacional, técnico em saúde bucal, advogado, analista administrativo, jornalista e assistente administrativo.

Atenção! 

O candidato deve escolher a Regional de Saúde para a disputa da vaga no ato da inscrição. A distribuição dos candidatos aprovados no concurso será de acordo com a necessidade/conveniência das unidades de saúde nas regionais as quais os candidatos se inscreveram.

Provas 

As provas objetivas referentes ao Concurso Público serão realizadas nas cidades de Balsas (MA), Barra do Corda
(MA), Caxias (MA), Codó (MA), Imperatriz (MA), Itapecuru (MA), Pinheiro (MA), Presidente Dutra (MA), Rosário (MA),
Santa Inês (MA), São João dos Patos (MA), São Luís (MA), Timon (MA) e Zé Doca (MA).

A aplicação das Provas Objetivas está prevista para o dia 18 de fevereiro de 2018.

CONFIRA O EDITAL AQUI 

CONFIRA O QUADRO DE VAGAS

Médicos especialistas
Médico cardiologista: 8 vagas
Médico – clínica médica: 9 vagas
Médico – endocrinologia: 13 vagas
Médico – ginecologia e obstetrícia: 9 vagas
Médico – ortopedia: 7 vagas
Médico – pediatria: 10 vagas
Médico – psiquiatra: 4 vagas

Enfermagem
Enfermeiro: 30 vagas
Enfermeiro obstetra: 10 vagas
Enfermeiro UTI – Adulto: 10 vagas
Enfermeiro UTI – Pediátrica: 10 vagas
Enfermeiro UTI – Neonatal: 10 vagas
Técnico de enfermagem: 560 vagas

Área médica
Biomédico: 15 vagas
Bioquímico: 10 vagas
Farmacêutico: 60 vagas
Fisioterapeuta: 28 vagas
Fisioterapeuta UTI Pediátrica – Neonatal: 10 vagas
Fonoaudiólogo: 15 vagas
Nutricionista: 20 vagas
Odontólogo: 15 vagas
Psicólogo: 15 vagas
Terapeuta ocupacional: 15 vagas
Técnico em saúde bucal: 26 vagas

Área administrativa da Emserh
Advogado: 2 vagas
Analista administrativo: 44 vagas
Jornalista: 5 vagas
Assistente administrativo: 30 vagas

Anúncios

JUSTIÇA: COMISSÃO DE REINTEGRAÇÃO DOS CONCURSADOS DE 2007 DE BEQUIMÃO EMITE NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE ADIAMENTO DO 1° ATO POR JUSTIÇA 

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Em reunião ontem(11) realizada às 20hs na Escola Aniceto Cantanhede em Bequimão-MA, os Integrandes do grupo de pessoas que estão com ação de reintegração de Posse referente ao concurso de 2007 da Prefeitura de Bequimão decidiram em assembleia que o 1°ATO POR JUSTIÇA ocorrerá após o período de recesso de natal e fim de ano.

A comissão esteve reunida ontem com a Juiza da Comarca de Bequimão. Esteve presente nesta reunião: Raquel Paixão( vereadora), Eduardo Sousa (Advogado) e mais dois representantes da Comissão.

Após os devidos esclarecimentos sobre os processos e quais as ações que posteriormente serão tomadas, decidiu-se adiar o movimento, pois, o primeiro objetivo seria essa conversa da comissão com a Juiza.

A comissão reunida definiu ações que serão tomadas posteriormente e assegurou a todos os presentes que os tramitites judiciais estão ocorrendo e que o movimento já teve seu objetivo.

Os presentes foram informados sobre a demora do prefeito de Bequimão, o Sr. Zé Martins, em responder sobre o acordo proposto entre o Ministério Público  em que o Prefeito reintegrasse as 68 pessoas que decidiram abrir mão das indenizações e retroativos salariais, conforme Ata de reunião de 19 de setembro de 2017. 

Nesta data, o Ministério Público deu um prazo de 30 dias ao Prefeito e até a presente dia não obteve resposta do mesmo sobre o possivel acordo.

Portanto, decidiu-se que o processo seguiria em juízo. 

Ressaltamos também, a disposição e grande interesse da Juiza da Comarca de Bequimão em resolver essa situação que já perdura por anos e que acaba por ocasionar a demora na realização de um concurso público.

Em conversa, a Juiza foi informada do quantitativo de funcionários contratados e da relação dos estão contratados nas vagas pelas  quais buscam sua reintegração.

A Comissão reafirma o interesse em um ACORDO com o Prefeito e espera que sejam tomadas medidas legais para o mesmo atenda o nosso direito. Partindo do ponto que ele foi um dos nossos maiores incentivadores quando não estava no cargo de prefeito e hoje recorre das decisões, não nos permitindo o digno e merecedor cargo de Funcionários Públicos efetivos do município de Bequimão.
Atenciosamente.

A Comissão

COMPROMISSO: Famílias do povoado BenFica em Bequimão estão recebendo hoje (09) as encenações de água potável em suas casas.

A manhã de hoje(09) foi um dia de grande alegria para as mais de 60 famílias do povoado BenFica em Bequimão. Estes moradores se jutam para festejar e trabalhar em união, pois  estão recendo a rede de tubulações que  levará água potável para dentro de suas casas.

A união dos moradores é fundamental nesse processo. Pois assim, todos saem ganhando e a água chega mais rápido em todas as casas.

O projeto tem parcerias de militantes e políticos da cidade de Bequimão que preocupados com a situação de calamidade pública que estas famílias vêem passando, juntaram-se e hoje levam esperança e qualidade de vida a todos na comunidade.

Essa parceria é formada por: 

Robson Cheira

Sinhor de Nestor

Sassá

Vagno Publicidade

Gordo do Quindíua 

Caio Almeida

Vereadores:

Raquel Paixão 

Thiago Almeida

Unidos, estão levando soluções viáveis a todos que os procuram, sem distinção político partidária, apenas pelo intuito de ver o bem  daqueles que tanto sofrem com a falta de uma política pública assistencialista que deve ser o norte de toda ação pública.

Hoje, essa equipe ainda passa por situações que considaram preocupantes. Ações contrárias aos benefícios que realizam, pessoas que não querem ver o bem do povo, agindo como vândalos, destruindo tubulações e prejudicando os moradores.

O que percebe-se é a crescente aceitação das ações de Robson Cheira e seus parceiros. Muito procurado pelas lideranças comunitárias, Robson tem participado constantemente de reuniões convocadas por moradores que querem ver seus problemas solucionados de forma organizada e igualitária.

Uma rede que só cresce e trás qualidade de vida.

Essa é a REDE SOLIDÁRIA idealizada por Robson Cheira e seus parceiros.

EDUCAÇÃO: Comissão do PME se reune para avaliação e monitoramento do Plano Municipal de Educação de Bacurituba-MA.

Realizada hoje (06) na Secretaria Municipal de Educação de Bacurituba a reunião para avaliação técnica do Plano Municipal de Educação- PME.

Na oportunidade a Assessora Técnica da SEMED, Profa. Michelle Lopes dirigiu os trabalhos com a leitura e readequação das Metas e estratégia do PME e também começou-se a discutir juntamente com os membros, a realização da Conferência Municipal de Educação que deverá ocorrer em Fevereiro de 2018.

A comissão é  formada de acordo com o Decreto Municipal n° 007 de 02 de maio de 2017 que nomeou a Comissão de Monitoramento e Avaliação do PME.

EDUCAÇÃO: Prefeitura de Bacurituba realiza Formação do PNAIC 2017/2018

Realizada ontem (5) com início às 8hs na Escola Galdina Serrão, aconteceu a primeira Fornação do PNAIC 2017/2018. O evento contou com Diretores, Coordenadores, professores da Educação Infantil, Anos Inicias do 1° ao 3° ano e também com os Mediadores e Facilitadores do Programa Novo Mais Educação.

 PNAIC – Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa é um compromisso formal assumido pelos Governos Federal, Distrito Federal, Estadual e Municipal como o intuito de assegurar que todas as crianças estejam alfabetizados até os oito anos de idade, ao final do 3° ano do Ensino Fundamental.

O programa abrange professores educação infantil, ciclo de alfabetização, mediadores do Programa Novo Mais Educação, e tem como objetivo oferecer formação continuada para os professores das redes públicas de ensino que atuam nos primeiros anos do ensino fundamental, através de formações continuadas, ensinando habilidades para alfabetizar os alunos na leitura e escrita na idade correta. As formações acontecerão continuamente durante o ano de 2018.

A formação dos professores da Educação Infantil foi com a Formadora Local da Educação Infantil, Professora Elimar de Fátima Câmara e contou a participação de 16 professores.

A formação dos professores do 1° ao 3° ano do Ensino Fundamental – Anos Finais foi ministrada pela Formacora Local Joelma de Fátima Moreira Barros  e Coordenadora Local Maria das Neves Costa Oliveira. 

Os Mediadores e Facilitadores do Novo Mais Educação participaram da formação ministratada pelo Coordenador do Programa PNME em Bacurituba, o professor Celson Antonio Ribeiro que contou com a participação  de 16 professores.

HISTÓRICO DO PNAIC

O Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa é um compromisso formal e solidário assumido pelos governos Federal, do Distrito Federal, dos Estados e dos Municípios, desde 2012, para atender à Meta 5 do Plano Nacional da Educação (PNE), que estabelece a obrigatoriedade de “Alfabetizar todas as crianças, no máximo, até o final do 3º (terceiro) ano do ensino fundamental”.

Para o alcance desse objetivo, as ações do Pacto compreenderam um conjunto integrado de programas, materiais e referências curriculares e pedagógicas, disponibilizados pelo Ministério da Educação, tendo como eixo principal a formação continuada dos professores alfabetizadores. Essas ações foram complementadas por outros três eixos de atuação: Materiais Didáticos e Pedagógicos, Avaliações e Controle Social e Mobilização.

O eixo Materiais Didáticos e Pedagógicos, desde a instituição do Pacto, é formado por conjuntos de materiais .específicos para alfabetização, tais como: livros didáticos (entregues pelo PNLD) e respectivos manuais do professor; obras pedagógicas complementares aos livros didáticos e acervos de dicionários de língua portuguesa (também distribuídos pelo PNLD); jogos pedagógicos de apoio à alfabetização; obras de referência, de literatura e de pesquisa (entregues pelo PNBE); obras de apoio pedagógico aos professores; e tecnologias educacionais de apoio à alfabetização; além de novos conteúdos para alfabetização, distribuídos para todas as classes do ciclo de alfabetização.

Em 2014, foram distribuídas no âmbito do PNAIC obras literárias, obras de apoio pedagógico, jogos, dicionários, tecnologias educacionais e conjuntos de materiais específicos para alfabetização. A quantidade de materiais entregues às escolas foi calculada com base no número de turmas de alfabetização, possibilitando maior acesso aos materiais pelos docentes e alunos.

O eixo Avaliação compreendeu avaliações processuais, debatidas durante o curso de formação de professores, desenvolvidas e realizadas continuamente pelo professor junto aos educandos, e a aplicação, junto aos alunos concluintes do 3º ano, de uma avaliação externa universal pelo Instituto Nacional de Pesquisas e Estudos Educacionais – INEP, visando aferir o nível de alfabetização alcançado ao final do ciclo

Nos anos de 2013, 2014 e 2016 foi aplicada pelo INEP a Avaliação Nacional da Alfabetização – ANA com o objetivo de aferir os níveis de alfabetização de todos os alunos do 3º ano do Ensino Fundamental, ou seja, concluintes do Ciclo de Alfabetização. Os estudantes responderam questões de Matemática, Leitura e Escrita. A aplicação desta avaliação foi prevista desde a instituição do PNAIC, possibilitando às redes de ensino implementar medidas e políticas corretivas. Neste site você também encontra informações mais detalhadas sobre a ANA.

O arranjo institucional, proposto no eixo Controle Social e Mobilizaçãoteve como objetivo incentivar o diálogo e a colaboração entre os entes públicos e garantir que as atividades formativas chegassem à sala de aula, respeitando-se as necessidades dos alunos de toda a rede de ensino.

Para realização do acompanhamento e monitoramento das ações de formação, foi desenvolvido pelo Ministério da Educação um módulo no Sistema Integrado de Monitoramento, Execução e Controle (SIMEC), o SISPACTO, que pode ser acessado de qualquer computador conectado à rede mundial de computadores (Internet).  Esse módulo foi atualizado para ser utilizado em todas as edições do programa, constituindo importante ferramenta tecnológica, que proporciona agilidade e transparência aos processos de elaboração, análise e monitoramento das ações do PNAIC.

formação continuada como política nacional é entendida como componente essencial da profissionalização docente, devendo integrar-se ao cotidiano da escola, e pautar-se no respeito e na valorização dos diferentes saberes e na experiência docente. Logo, a formação se constitui no conjunto das atividades de formação desenvolvidas ao longo de toda a carreira docente, com vistas à melhoria da qualidade do ensino e ao aperfeiçoamento da prática docente, constituindo o quarto eixo do PNAIC.

Para a Formação Continuada de Professores Alfabetizadores foram definidos conteúdos que contribuem para o debate acerca dos direitos de aprendizagem das crianças do ciclo de alfabetização; para os processos de avaliação e acompanhamento da aprendizagem das crianças; para o planejamento e avaliação das situações didáticas; e para o conhecimento e o uso dos materiais distribuídos pelo Ministério da Educação voltados para a melhoria da qualidade do ensino no ciclo de alfabetização.

As ações do PNAIC iniciadas em 2013 em todas as unidades da federação tiveram como um dos pontos significativos a oferta de formação a professores alfabetizadores, ampliando as discussões sobre a alfabetização, na perspectiva do letramento, nas redes de ensino, nas escolas e nas instituições de ensino superior.

Em cada ano do programa foi definido um tema para a formação e houve o aprofundamento das questões pedagógicas em diversas áreas do conhecimento em uma perspectiva interdisciplinar, contemplando-se a organização do trabalho pedagógico no ciclo de alfabetização, a avaliação e os princípios de gestão, distribuídos em cargas horárias diferenciadas.

No âmbito do Pacto, a Formação Continuada de Professores Alfabetizadores desenvolve-se a partir de um processo de formação entre pares, em um curso presencial.  Em 2013, os professores participaram de um curso com carga horária de 120 horas, objetivando, sobretudo, a articulação entre diferentes componentes curriculares, com ênfase em Linguagem. As estratégias formativas priorizadas contemplaram atividades de estudo, planejamento e socialização da prática.

Em 2014, a duração do curso foi de 160 horas, objetivando aprofundamento e ampliação de temas tratados em 2013, também com foco na articulação entre diferentes componentes curriculares, mas com ênfase em Matemática. Essa formação foi conduzida por orientadores de estudo, professores pertencentes ao quadro das redes de ensino, devidamente selecionados com base nos critérios estabelecidos pelo Ministério da Educação, que participaram de um curso de formação de 200 horas, ministrado por formadores selecionados e preparados pelas universidades públicas que integraram o programa. Em suma, as universidades selecionaram e prepararam seu grupo de formadores que, por sua vez, tiveram a responsabilidade de formar os orientadores de estudo, que conduziram as atividades de formação junto aos professores alfabetizadores.

Em 2015, o PNAIC foi desenvolvido por meio de ações que estimularam a ação reflexiva do professor sobre o tempo e o espaço escolares com foco no currículo inclusivo, que defende os direitos de aprendizagem de todas as crianças, fortalecendo as identidades sociais e individuais e a integração entre os componentes curriculares, para a organização do trabalho pedagógico com ênfase na alfabetização e letramento das crianças.

Considerando-se os dados ANA  em 2013 e 2014, constatou-se o baixo rendimento das crianças em Língua Portuguesa e Matemática[1]. A compreensão do que significam os resultados 1 e 2 na ANA e as demandas das redes públicas levaram o Ministério da Educação a promover mudanças incrementais no PNAIC em 2016.

Em 2016, com o objetivo de fortalecer as estruturas de gestão estadual e municipal foram incluídos na equipe de gestão um representante da UNDIME e um coordenador regional para colaborar com a articulação entre as redes. Os coordenadores UNDIME, estadual e de formação formaram o Comitê Gestor Estadual para Alfabetização e Letramento, responsáveis pela organização, funcionamento e acompanhamento das ações do programa em seus respectivos estados.

No período de 2013 a 2016 as instituições de ensino superior foram responsáveis pela formação de um grupo de formadores denominados orientadores de estudos, que eram os responsáveis pela formação direta dos professores alfabetizadores nos municípios. Em 2016 o coordenador pedagógico foi incluído como público-alvo da formação. Todo o processo de formação foi organizado para subsidiar o professor a desenvolver estratégias de trabalho que atendessem diretamente às necessidades de sua turma e apoiá-lo no alcance dos objetivos de aprendizagem do ciclo de alfabetização pelos seus alunos, tendo como princípio básico a reflexão sobre a própria prática docente.

A partir de 2017, analisando a experiência adquirida, algumas inovações foram implementadas. O PNAIC passa a compor uma política educacional sistêmica que parte de uma perspectiva ampliada de alfabetização, trabalhando a Alfabetização na Idade Certa, a melhoria da aprendizagem em Língua Portuguesa e Matemática no Ensino Fundamental, bem como a inclusão da Educação Infantil e o Programa Novo Mais Educação. Optou-se por adotar uma estratégia descentralizada para atender à diversidade de arranjos federativos, além de valorizar experiências exitosas e inspiradoras.

A principal inovação no programa em 2017 refere-se a um direcionamento maior na intencionalidade pedagógica das formações e da atuação dos formadores, articulada a um modelo de fortalecimento da capacidade institucional local, reforçando a importância de ter, na estrutura de formação e gestão, atores locais altamente comprometidos com os processos formativos e de monitoramento, avaliação e intervenção pedagógica.

A intenção é promover a cooperação federativa e apoiar a constituição de equipes de coordenadores vinculados às redes de ensino para que estas assegurem o acompanhamento das ações do programa e avaliem a aprendizagem dos estudantes, responsabilizando-se também: (a) pela definição de metas a serem alcançadas; e (b) pelos resultados da alfabetização em seus estados e municípios.

ESPERANÇA: Canal do Jacioca vai garantir água e alimento o ano todo para vários povoados de Bequimão e região.

Ontem, 04/12/17, foi um dia histórico para o povoado Jacioca e adjacências. Foi dado início a construção do canal do Jacioca que armazenará água no campo durante o período de estiagem. A obra pode ser considerada um dos maiores beneficoos para a região, pois é de grande alcance social que beneficiará várias de famílias da região.

O secretário de comunicação e articulação política, Márcio Jerry, esteve presente vistoriando a obra, representando o Governador Flávio Dino.

Também participam do evento o Sec. Adjunto e Diretor da Rádio Timbira, Robson Paz, os vereadores Fredson e Raquel Paixão, os Ex-Vereador Pongó, o Diretor Francisco, o líder comunitário Adeildo Belo, dentre outras lideranças e comunidade. 

COMO A OBRA CHEGOU AO POVOADO?

A Secretaria de Desenvolvimento Social publicou edital de chamada pública para que entidades e Associações solitacem as ações do programa Diques da Produção em suas localidades e municípios.

O vereador Fredson, na época presidente da Associação do Jacioca, em ser conhecedor dos problemas enfrentados pelos moradores da região, fez a inscrição dessa entidade junto a Secretaria solicitando a escavação do canal no campo do jacioca.

Após a inscrições os técnicos da secretaria vieram, no mês de março deste ano, visitando a localidade que foi selecionado para receber o projeto.

O projeto da Associação do Jacioca foi entregue pessoalmente ao Secretário Adjunto da SEDES – Secretaria de Desenvolvimento Social do Governo Flávio Dino pelo Emerson Pereira, também membro da diretoria da associação.

Na foto, Emerson entregando o projeto da Associação ao Adjunto da SEDES, Francisco Junior, em 2016.

A construção desse canal é um dos maiores benefícios para  comunidade e adjacências. Proporcionando água e alimento o ano todo. Tirando o povo da seca e da fome, possibilitando produção agrícola, criação de animais e pesca que são as atividades desses moradores que tanto sofreram com a seca durante o periodo de estiagem.

DIQUES DA BAIXADA: Começa hoje (04) a construção do Canal do Jacioca em Bequimão-MA


Tem início nesta segunda-feira (4), 8h, a construção do canal do programa Diques da Produção, no povoado Jacioca em Bequimão.

O secretário Márcio Jerry e o adjunto Robson Paz (Comunicação e Assuntos Políticos) acompanharão o início da obra.

O canal terá 1.200 metros de extensão com 13,66 metros de largura e 2,5 metros de profundidade.

O evento terá a participação de vereadores, lideranças políticas, comunitárias e população

O vereador Fredson ressalta a importância do projeto para os mais de 10 povoados que serão contemplados.

As localidades que receberão uma das obras em que serão investidos R$ 15 milhões e que tem por objetivo garantir o abastecimento de água doce durante todo o ano e o desenvolvimento econômico da região. 

A Senhora Rosa Helena, integrante da Colônia de Pescadores fala das dificuldades enfrentadas pelos pescadores no periodo de estiagem e dos benefícios que a obra trará para os pescadores da região.

“Trata-se de uma etapa importante do processo de seleção das comunidades beneficiadas pelo Programa. A Chamada Pública estabelece as condições técnicas mínimas necessárias para selecionar os povoados localizados no entorno dos municípios que possuem campos naturais inundáveis, inseridos no Programa Diques da Produção, bem como define as intervenções e as prioridades nas fases posteriores do processo de adesão das comunidades contempladas”, explicou o secretário de Desenvolvimento Social, Neto Evangelista.

O Programa

Tecnicamente, o programa consiste na realização de obras que incluem a construção de canais, barragens e diques em diversos pontos na extensão da Baixada. Com as obras, o esperado é que os campos, que atualmente alagam no período chuvoso (em média seis meses) e que na estiagem sofrem com a escassez de água e a salinização – entrada de água do mar nos rios e lagos permanentes temporários e que se acumula no solo – tenham condições que permitam a produção agrícola e criação de animais.

De acordo com o gerente de Inclusão Sócio – Produtiva da Sedes, o engenheiro Martinho Andrade de Lima, as obras em sua maioria serão do tipo Canal, e o objetivo maior é garantir o acúmulo de água em diversos pontos da Baixada, possibilitando o abastecimento às comunidades durante todo o ano.

“Essas obras são em sua maioria canais, que servem para a acumulação de água. Esses canais serão escavados onde já existem pontos de alagamento e de acordo com a geografia de cada região. Eles estarão ligados a pontos onde há acúmulo permanente de água, como rios, riachos e lagos que não secam no período de seca. Assim, vamos direcionar essa água e permitir que esses canais tenham água o ano todo e cheguem aos locais onde antes secava numa determinada época”, explicou o engenheiro.

Ao contrário dos canais, cuja obra consiste basicamente na escavação do terreno para que a água se acumule no nível abaixo da superfície ao redor, os diques e barragens fazem o sentido contrário, terão paredes de contenção. As barragens possuem controle de vasão e são destinadas ao acúmulo de água doce e permitirão a criação, por exemplo, de açudes e lagos; já os diques irão impedir que a água salgada avance sobre os campos que atualmente alagam.

“Esses canais, barragens e diques serão executados de acordo com a necessidade e a conveniência técnica. A necessidade diz respeito a quantas famílias atendidas, se são de pescadores, produtores e, com a conveniência técnica, será avaliado se é possível fazer aquela obra naquele ponto, se não vai secar em outro lugar que já tem água, prejudicar outra comunidade, enfim cada caso é um caso e outro dado importante é que são obras que só poderão ser executadas no período da estiagem”, detalhou o engenheiro Martinho.

O Programa Diques da Produção é coordenado pelas Secretarias de Estado de Desenvolvimento Social (Sedes), da Agricultura Familiar (SAF), da Agricultura Pecuária e Pesca (Sagrima), do Meio Ambiente a Recursos Naturais (Sema) e Casa Civil.Entre as vantagens, o engenheiro destacou a agricultura, piscicultura e pecuária. “São inúmeras vantagens, termos por exemplo o chamado peixe preto da Baixada durante todo o ano, vai ter agua para o consumo de animais, dos rebanhos bubalino, equino, caprino entre outros, além disso, o incremento da atividade agrícola, e, por ser um programa transversal, a SAF, por exemplo, vai orientar o que pode ser produzido, se é banana, arroz, milho, mandioca nessas áreas que não terão mais seca e qual a melhor forma de realizar essa produção”, completou.

Inscrições

Abertas até o dia 30 de setembro, as inscrições foram feitas por associações de classe, cooperativas, sindicatos ou representantes da comunidade nos 35 municípios incluídos no programa.

A prioridade de seleção foi dada às comunidades que apresentarem o maior número de habitantes que recebem o Bolsa Família; que sejam constituídos predominantemente por agricultores e pescadores de povos e comunidades tradicionais e que apresentarem o maior número de habitantes/moradores com Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP).

O cadastro foi feito por meio de envio da ficha de inscrição e documentos necessários à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedes) – Setor de Protocolo – Localizada à Rua das Gardênias, Quadra 01, Nº 25, Jardim Renascença – São Luís – Maranhão. Também estão aptos a receberem as inscrições os Escritórios Regionais da Agerp, em Bacabal, Pinheiro, Santa Inês e Viana.

Após a fase da seleção, a escolha definitiva das comunidades contempladas pelo programa foi definida por visita de técnicos enviados pela Sedes, SAF, Sema e Sagrima.

Os municípios incluídos no programa Diques da Produção são: Alcântara, Anajatuba, Apicum-Açu, Arari, Bacuri, Bacurituba, Bela Vista do Maranhão, Bequimão, Cajari, Cajapió, Cedral, Central do Maranhão, Conceição do Lago-Açu, Cururupu, Guimarães, Igarapé do Meio, Matinha, Mirinzal, Monção, Olinda Nova do Maranhão, Palmeirândia, Pedro do Rosário, Penalva, Peri Mirim, Pinheiro, Porto Rico do Maranhão, Presidente Sarney, Santa Helena, Santa Rita, São Bento, São João Batista, São Vicente Ferrer, Serrano do Maranhão, Viana e Vitória do Mearim.